Às vezes tentamos descrever o que é Decoração, mas nem sempre conseguimos reunir em uma ideia concisa tudo que representa a atividade de dar vida a um ambiente. Vamos, então, descobrir o que é a Decoração de Ambientes e o que faz o Decorador!

O que é Decoração?
Todos entendem o que é Decoração, mas poucas pessoas sabem realmente explicar o que é exatamente e como funciona esta atividade.

Principalmente por este desconhecimento é que muitas vezes a profissão de decorador acaba sendo desvalorizada por muitas pessoas.

A atividade da Decoração, ou Design de Interiores, consiste basicamente em planejar ambientes, sejam eles comerciais ou residenciais, para que se tornem tão bonitos e agradáveis quanto possível.

É preciso levar em consideração aspectos como acessibilidade, conforto térmico (manter uma temperatura agradável), iluminação, propagação de sons (acústica) e praticidade, como capacidade de organização e armazenamento de materiais.

O que é Decoração de Ambientes

Decoração de Ambientes também costuma ser definida como uma técnica cenográfica e visual voltada à composição e ornamentação de espaços fechados ou internos, como escritórios, cômodos de uma residência e estabelecimentos diversos.

Independente da definição, um projeto de Decoração envolve tudo que está visualmente presente nestes espaços, desde a cor das paredes até os móveis, utensílios, cortinas e persianas, iluminação e até os eletrônicos que vão compor o espaço e a forma como as pessoas o utilizarão no dia-a-dia.

As definições acima sobre o que é decoração já eliminam a ideia de que se trata de uma atividade simplória, mas há muito mais sobre a decoração de ambientes para falarmos a respeito.

O profissional de Decoração

Designer de interiores - Decorador

Designer de interiores – Decorador

O papel do Decorador (ou Decoradora) é harmonizar tudo aquilo que compõe um ambiente e sua utilização pelas pessoas – móveis, adornos, cores, texturas, iluminação, materiais, utensílios, e aparelhos eletroeletrônicos, levando em consideração tanto a beleza quanto a acessibilidade e usabilidade do espaço em questão.

Além do projeto e do planejamento do ambiente propriamente dito, o Profissional de Decoração também costuma gerir a execução do projeto de decoração.

Seu dever é estar sempre à frente da definição de prazos e cronogramas, controle e ajustes no orçamento, além de capitanear o trabalho de outros profissionais como eletricistas, pedreiros, marceneiros e pintores.

A atuação do Decorador pode se dar no âmbito institucional, projetando salas comerciais, atelieres, escritórios e lojas, ou se voltar para o ramo residencial, se envolvendo com projetos de casas e espaços de convivência de forma geral.

Há também a possibilidade de trabalhar com espaços públicos e eventos específicos.

Normalmente, encontramos Decoradores trabalhando de forma independente, como profissional autônomo. Mas também há muitos casos em que este tipo de profissional integre quadros de empresas do ramo de Design de Interiores.

Outros atuam como consultores independentes ou vinculados a lojas de móveis, por exemplo.

A formação acadêmica de profissional de Decoração ou Design de Interiores pode ser cursada nos níveis, Técnico, Tecnólogo ou Bacharelato, existindo muitos cursos também para Pós-Graduação (tanto Latu Sensu como Strictu Senso ) e MBA.

Desnecessário citar que habilidades em artes, outras áreas de Design e vasta bagagem cultual são muito bem vindas para este tipo de profissional, cujo papel é trazer para o seu cliente soluções e ideias inovadoras e eficientes, muitas vezes além da esfera de alcance de pessoas não relacionadas ao ramo.

Os Designers de Interiores ou Decoradores deve ser filiado à Associação Brasileira de Designers de Interiores (ABD), entidade que une os profissionais da área (mais de 5.000 atualmente) na defesa dos seus interesses desde 1980, ano de sua fundação.

O mercado da Decoração

A Decoração e Design de Interiores estão em pleno processo de expansão e crescimento de atividades, principalmente no Brasil em que as classes de maior poder aquisitivo nunca abriram mão deste tipo de serviço.

Além disso, deve-se considerar a impressionante ascensão da classe C que passa a buscar como nunca os serviços de profissionais qualificados. A partir do ano de 2004 até meados de 2012, os gastos da classe C com Decoração aumentaram seis vezes.

Isso é reflexo de uma economia em crescimento e do aumento da renda das classes menos favorecidas, e o mercado absorve essa demanda de forma muito saudável e sustentável.

Assim, se cria nichos de atuação e segmentação de produtos e preços a fim de atender as necessidades de todo o tipo de cliente.

Essa movimentação do mercado reflete no número de cursos e escolas especializadas no ramo de design de interiores.

Hoje, há muito mais cursos disponíveis tanto para graduação quanto para especialização a nível técnico, e a demanda de profissionais qualificados só aumenta, principalmente nos últimos quatro anos.

Enfim, para quem quer atuar na área de Decoração e Design de Interiores tem bastante mercado para explorar, mas deve ficar atento à competição, que geralmente já é bem dominada por profissionais e empresas mais tradicionais, mais como a segmentação de clientes é uma realidade, a saída pode estar em encontrar o nicho correto e o produto mais adequado para este público.